12
03
14
O Surabaya Zoo é o maior zoológico da Indonésia e já poderia ter sido fechado a muito tempo. Neste lugar os animais sofrem maus tratos diariamente durante toda a vida..

 

A última girafa do zoológico dos horrores doente com 30 anos de idade. Faminta, a girafa ingeriu cerca de 20 Kg de plástico vindo do lixo jogado em seu ambiente e acabou não resistindo.

Mais um caso de crueldade: Um tigre branco de Bengala vivia em uma jaula minúscula faltando uma orelha e sofrendo de graves problemas de coluna que não permitiam que o animal ficasse de pé.


Os animais não têm comida suficiente e qualquer atendimento médico especializados, pois não existem veterinários no zoológico e os animais são “cuidados” pela mesmo funcionário que alimenta e limpa os aposentos (quando limpam!). Além disso, animais menores se reproduzem de forma descontrolada, não existe qualquer financiamento do governo e alguns membros da equipe respondem por crime de tráfico ilegal de animais silvestres. Os ingressos são muito baratos (US$2,00) e a má fé de alguns funcionários que foram acusados de vender a comida dos animais para os mercados da cidade, são os principais problemas que fizeram o zoológico virar um show de horror.

 

Espécies raras como dragões de komodo e orangotangos vivem em gaiolas úmidas sendo obrigados a comerem amendoins jogados pelos visitantes. Cerca de 180 pelicanos são mantidos em uma gaiola menor que uma quadra de vôlei e mais de 20 tigres são mantidos em jaula de concreto como uma prisão. A superlotação é o maior problema do zoológico, e por causa disso, dos 4 mil animais, em torno de 25 morrem todos os meses, certamente de fome e doenças.
Não existe qualquer esforço por parte do governo para salvar os animais. Diante de tamanha crueldade diversas ONGs e ativistas pedem o fechamento do zoológico e salvação dos animais. Muitos deles não tem a mínima condição de viver soltos e precisam de cuidados extremos.
Geraligado – Todo mundo ligado .

Deixe seu comentário

Os comentários do blog, são via Facebook. Para comentar você tem que estar logado lá! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor.