16
06
11

A corrida do queijo –

Se você olha o pânico on TV já deve ter visto os apresentadores deles se ralando nessa corrida.
O funcionamento é muito simples, alguém joga um queijo  e um bando de (masoquistas com tendência suicida) caras pulam morro abaixo numa corrida descontrolada para pegar o dito queijo.
Porém, quem consegue pegar o dito cujo é ricamente recompensado com.. outro kejo!! sim, um simples queijo, comunzin feito com extrato de vaca coalhado. Um bom motivo para quebrar uma perna ou um braço não achas?

La tomatina –

Essa é bem menos perigosa que a ultima
Acontece na Espanha, onde uma vez por ano muitos alegres habitantes locais + turistas se agrupam numa praça para felizes jogarem tomates uns nos outros.
Se eu não me engano esse também já passou no pânico. Ao contrario da corrida do queijo neste festival ninguém corre o risco de ter que usar o seguro de vida. Pelo contrário parece ser bem divertido ficar semi-nu com tomate voando pra tudo que é lado em meio a uma multidão (exceto pelo fato que 95% do povo é homem).
Inacreditavelmente esse negocio tem regras. A principal, você só pode jogar tomates (mas ha relatos de cuecas e outras roupas intimas sendo arremessados), e você só poderá começar a balear o povo depois que alguém lhe acertar uma tomatada, a não ser que você esteja sobre os caminhões que jogam centenas de tomates para o povo.

Festival da honra –

Se a idade contar esse é o pai de todos os festivais sem sentido que existem. Acontece a mais de 1200 anos, uma vez a cada 6 anos.
O funcionamento também é bem simples, você, pequeno candidato a suicida, sobe em um tronco gigante que é largado barranco abaixo.
Existem algumas cordas para segurar o tronco caso algo saia errado, mas normalmente o tronco que arrasta quem segura a corda então..
É praticado no Japão, partes da china e também no Vietnã.

Jogos de ‘redneck’ (tradução aproximada: pescoço vermelho) –

Era certeza que os EUA iriam estar nesta lista também, nenhum outro lugar no mundo concentra tantas pessoas  criativas.
Estes são jogos que remotam aos felizes momentos da infância de brincar no barro. Todo mundo, eles elas crias e velhos, todo mundo se atirando numa gigante poça de barro, apenas pelo prazer de se sentir sujo.
Ok, o barro é medicinal né então … Esse sim parece ser um tipo bem interessante de festival, pensa o fiasco que seria um brasileiro dos bons nesse lugar – organizaremos uma excursão, aguardem.
Ah, o mais importante, todo mundo sujo molhado e com roupas reduzidas.

A batalha das laranjas –

Europeus gostam de atirar frutas.
Essa é uma reunião familiar muito parecida com a tomatina, mas com laranjas ao invés de tomates. Por que? Os italianos gostam mais de dor que os franceses !
Bem, o fato é que toma uma laranjada deve doer muito mais que uma tomatada (alguém que conheça as duas sensações que se pronuncie), aqui além de ficar todo sujo, se você quiser pegar uma cor para o verão estará no lugar certo, pois no final você vai estar todo roxo(a).
Aqui o povo é dividido em times e ganha quem não perde. Simples né.

Torneio de carregar a patroa (esposa) –

Sabe aquele momento célebre no início da lua de mel, onde normalmente o marido carrega a esposa para o quarto a fim de.. compartilhar informações sigilosas com sua esposa? Então, os finlandeses gostaram tanto dessa idéia que resolveram levar o assunto pra outras áreas da vida, o esporte por exemplo.
A competição funciona assim: você pega sua esposa, coloca ela nos ombros e vai fazer algumas provas, como passar por piscinas, corridas e outras coisas divertidas que sua mulher adoraria fazer.
Dai você pensa, e a esposa fica de boa nas costas do maridão e ele que se lasque?
Bom, talvez as imagens faça você ter idéia do que é ser esposa de finlandês:

Geraligado – Todo mundo ligado .

Deixe seu comentário

Os comentários do blog, são via Facebook. Para comentar você tem que estar logado lá! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor.