05
04
16

É amigos, as histórias mais terríveis e cruéis do mundo realmente vocês não encontram nos livros de história, mas nós do Geraligado contamos para vocês. Esse mundo é cheio de pessoas cruéis, que fizeram coisas terríveis e ficaram marcadas na história, mas poucas pessoas sabem de tais crueldades. Fizemos nessa matéria uma lista de casos de tortura, assassinatos, serial killers, ou seja, de pessoas que fizeram ou sofreram crueldades, mas que pouca gente conhece essas histórias. Se você é do tipo de pessoa que não gosta de histórias de terror, é melhor tomar cuidado com essa matéria, pois nela existe casos terríveis, de dar medo em muita gente por aí. Vejam também a nossa matéria sobre os 7 casos paranormais mais perturbadores que aconteceram na Rússia. Então, caros leitores, confiram agora a nossa matéria com os 5 casos terríveis da vida real que não foram contadas em livros de história:

1 – Rosemary Kennedy
5 casos terríveis da vida real que não foram contadas em livros de história1
Nascida em 1918, Rosemary tinha alguns problemas mentais desde criança, e por isso teve de ser educada por professores particulares. Ao chegar a adolescência, ela passou a ter fases de descontroles e violência, embora ela tivesse uma vida boa regada de viagens e festas pagas pelo seu rico pai, o empresário e embaixador Joseph Kennedy. Seu pai, que era indignado pela incapacidade da família lidar com os problemas de sua filha, sem consultar a família, contactou um neurocirurgião e ordenou que uma lobotomia pré-frontal fosse realizada em Rosemary, em 1941. Os médicos perfuraram um buraco na cabeça de Rosemary e fizeram um corte em seu cérebro com uma ferramenta.

O processo deixou Rosemary totalmente incapaz de ter uma vida normal, ela foi reduzida ao estado vegetativo depois do processo, e ficou incapaz de falar e com um nível de inteligência de uma criança com dois anos de idade. Então ela teve que ser internada permanentemente no Convento de Santa Coletta, em Winsconsin.

2 – Bela Kiss
5 casos terríveis da vida real que não foram contadas em livros de história2
Bela Kiss era um latoeiro na cidade de Cikota, ele era alto, loiro e bonito, e fazia um grande sucesso com as mulheres.Tudo o que as pessoas sabiam eram que ele adorava festas e tinha um grande bigode. Para quem não sabe, Bela Kiss foi um famoso serial killer húngaro, que cometeu nada mais nada menos que 24 assassinatos de jovens mulheres (inclusive sua esposa infiel). Bela Kiss desmembrava seus corpos e os colocava em tambores de metal muito grandes, que ele mantinha em sua propriedade. Kiss foi convocado para participar do exército de combate na Primeira Guerra Mundial. Durante a guerra, ele conseguiu escapar enquanto se recuperava em um hospital na Sérvia e nunca foi capturado.

3 – Robert McGee
5 casos terríveis da vida real que não foram contadas em livros de história3
Ainda quando era criança, Robert McGee foi escalpelado em 1864 pelo chefe Sioux Little Turtle (Pequena tartaruga) que lhe arrancou a metade do couro cabeludo com uma machadinha, e ele foi uma das poucas pessoas que conseguiram sobreviver a esta terrível experiência.

Junto a sua família, Robert emigrou para o oeste dos Eua em busca de uma vida melhor. Eles foram em um trem com sentido a Leavenworth, Kansas. Com a morte de seu pai, Robert foi obrigado a procurar um emprego, e foi se alistar no exército, mas foi recusado devido a sua baixa idade. Robert conseguiu um emprego na companhia ferroviária, onde era responsável pela inda e vinda de malotes comerciais. Devido aos perigos da via, os trens eram sempre escoltados pelo exército. Em um belo dia (ou mal dia), quando todos achavam que estavam seguros, por volta das 5 da tarde, o acampamento foi atacado por 150 Sioux sobre o comando do chefe Little Turtle. O grupo foi surpreendido pois não estavam preparados, e todos foram sacrificados. Todos, exceto Robert, que foi o único sobrevivente do massacre.

Porém. Robert passou muito perto da morte, pois ele foi atingido com uma lança na altura da virilha, recebeu dois tiros na barriga, duas flechas nas costas e depois de tudo, o chefe Little Turtle ainda arrancou o seu couro cabeludo do menino, que acreditavam já estar morto. Um exército foi enviado para ajudar e ao chegar ao massacre, ficaram espantados com tantos assassinatos e pelo fato de Robert ainda estar vivo. Robert foi levado para um médico para que tratasse as feridas.

4 – Amelia Dyer
5 casos terríveis da vida real que não foram contadas em livros de história4
Uma enfermeira de Bristol chamada Dyer, trabalhava em um orfanato. Ela cuidava de crianças indesejadas de pessoas que não podiam dar ao luxo de cuidar delas. Dyer descobriu uma maneira de fazer muito dinheiro, que era matando as crianças. Ela ganhava dinheiro falando para as pessoas que iria cuidar dos bebês, mas na verdade os deixava morrer de fome. Depois de um tempo, as crianças estavam demorando muito a morrer, então ela começou a estrangular os bebês.

Apesar de vários desentendimentos com a polícia e algumas passagens por hospícios, Dyer conseguiu realizar esta prática doentia por quase 20 anos. Em uma certa vez, ela se descuidou e enrolou o corpo de um bebê em um papel com a escrita dela, que a polícia encontrou e conseguiu descobrir de quem era a escrita, onde ela foi capturada no ano de 1896 e foi enforcada. Ela foi acusada de matar seis bebês, mas na verdade ela está ligada a mais ou menos 400 mortes.

5 – Marie Delphine LaLaurie
5 casos terríveis da vida real que não foram contadas em livros de história5
Uma Socialite do século XIX chamada Marie Delphine LaLaurie, é considerada uma das primeiras mulheres a cometerem assassinatos em série. Marie ficou conhecida por torturar e matar seus escravos. Ela escondia sua real personalidade, mas existiam algumas histórias sobre a sua crueldade.

Um belo dia a casa de LaLaurie pegou fogo e as pessoas entraram em sua casa para ajudar. Nisso, as pessoas encontraram uma câmara de tortura com diversos escravos enforcados. Dizem que cerca de 100 pessoas sofreram na mão dessa serial killer, que fugiu e se mudou para Paris antes de ser capturada.

Deixe seu comentário

Os comentários do blog, são via Facebook. Para comentar você tem que estar logado lá! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor.